Orgias Alimentares

IMG_5043

No pecado capital, me inscrevo, semanalmente. A dor frontal denuncia minhas raízes encrustadas em doces orgias.

No banquete do exagero compulsório, minha inferioridade se nivela à alma gorda escondida em compartimento inconsciente. Sai como monstro feroz no impulso pelo gozo. Prazer, agora. Depois, ressaca moral.

Há uma lombriga dissimulada que percorre minhas cavidades intestinais, troca filosofias baratas com sinapses corruptas e suborna minha serotonina. Instantaneamente, o mundo não acabaria, mas minha autoria de sacarose multifacetada entrega o disfarce com codinome eumecontrolo.

Descontrolada abocanho todos os futuros dissabores da luxúria alimentar. Chupo calculadamente todos os dedos de todas as mãos, até mesmo das que nem eu conhecia. Desde a mínima extremidade faz-se a sucção açucarada, deixando as baratas a verem navios alucinógenos.

Meu umbigo parece grávido e sua ponta aponta para o dilatamento expansivo. O bucho, por enquanto livre do remorso, sorri insatisfeito suplicando: excesso. Bebi demais de uma larica lúdica, invisível e traiçoeira. “Não há de quê”, vomita meu imaginário. Sinto o peso verborrágico de toda a moderação que dissolvi.

Como se não houvesse amanhã, deito crente na mistura estapafúrdia que criei. Antecipo o arrependimento dormindo cedo na lua cheia. Cheia da minha gula desmedida. Volte sete casinhas. Acabou a brincadeira.

Junto meu resto de dignidade, e digo nunca mais outra vez.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s