Retalhos na Bagagem

erikakuhn

Tomei decisão.

Meu coração não explodiu o suficiente, e foi uma golada ausente de garantias.

As borboletas na barriga saltaram em voo raso e fugaz.

Eu queria manter a chama do início; ela fervia em minhas veias.

Algo aconteceu, sem nome.

Um sonho espatifado em terra, riso que virou nó. Paixão resumida à carinho profundo.

Sequestro a mentira e digo que estou radiante? Não se embarca no meu feitio.

Foi um pranto de enxurrada. Lavou as calçadas e fez do meu coração uma enchente salgada.

O que era duplo tornou-se sujeito. Me desejou boa sorte.

Eu desejo paz nos meus sonhos, calma na sua alma.

Acima de tudo, desejo que me perdoe por não sustentar as expectativas.

Mais que a lucidez, desejo perdoar a mim mesma.

Uma ferida a mais na bagagem. Os retalhos são inevitáveis, mas a cura, impaciente.

Minha felicidade tem pressa. Ergo a cabeça, tendo como força a minha promessa.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s