Que Venham as Flores

hülia özdemir

Ela veio incendiando minha alegria, movimentando meu espírito rumo às cores que esqueci pelo caminho.

No primeiro sol após larguras de céus emburrados, cinzas rabugentos e uma preguiça tentadora, eis que o verde explode seu tom mais forte,

as flores, o primeiro ensaio,

enquanto o ar se embebeda de frescura nova.

O rastro de orvalho cristalizado gruda em mim por ser beleza inspiradora, e eu me demoro por ser olhar de primeira vista.

A verdade é que, quem cola nas nascentes suaves do renascimento sou eu,

sedenta.

Caçando e recolhendo momentos de vibrações sonoras.

Me movo lentamente, atenta aos vestígios de minha alma.

Como sei que a densidade do meu ser é frágil, arrebatadora e convicta, fortaleço minhas metades, vazios e correntezas.

É primavera, afinal.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s